Terça - Sexta das 08h às 17h
Campinas/SP Bairro São Bernardo

Padre Jamil Cury Sawaya

2019 - 2020
Padre Jamil Cury Sawaya

O Pe. Jamil Cury Sawaya nasceu em São Paulo, SP, no dia 06 de dezembro de 1946, filho de Jamil Pedro Sawaya e Leonor Cury Sawaya. Fez o ensino fundamental e médio no Seminário da Imaculada de Campinas. É formado em Filosofia e Pedagogia e em Teologia pela Faculdade Nossa Senhora da Assunção, SP. Casou-se no dia 05 de janeiro de 1973 com Elizabeth Franzini Sawaya e tem três filhos: André Luís, Cristiane e Daniele. Profissionalmente, ocupou vários cargos em diversos Colégios Católicos de Campinas, como Direção e Coordenação Pedagógica. Na PUC-Campinas foi Vice-diretor do Instituto de Filosofia, onde se firmou pela primeira vez o contrato entre a PUC e os formadores responsáveis pelas Congregações e Dioceses – ISFIC. Ocupou por duas gestões o cargo de Diretor da Faculdade de Educação, onde implantou o Curso de Mestrado em Educação. Foi Pró-Reitor de Graduação. Na Arquidiocese de Campinas participou desde os fins dos anos 60 da Comissão Arquidiocesana de Liturgia, Música e Artes Sacras – CALMAS; participou de todas as Assembleias Diocesanas e da Revisão Ampla; foi Coordenador da Comissão Arquidiocesana de Liturgia. Assessora pedagogicamente a Escola de Formação Teológico-pastoral Imaculada Conceição e é Coordenador de Pastoral do Colégio Notre Dame de Campinas. Foi ordenado Diácono Permanente da Arquidiocese de Campinas no dia 27 de maio de 2007, pelas mãos de Dom Bruno Gamberini, e nomeado para exercer o ministério diaconal na Catedral Metropolitana.   Sempre é motivo de grande júbilo, para qualquer diocese ou congregação do mundo, a Ordenação de um novo presbítero. No dia 24 de setembro, às 09h00, na Catedral Nossa Senhora da Conceição, pelas mãos de Dom Airton José dos Santos, Arcebispo Metropolitano, a Arquidiocese de Campinas celebrou a Ordenação Presbiteral do Diác. Jamil Cury Sawaya. Esta ordenação se revestiu de uma expectativa e alegria especial, pois foi o primeiro Diácono Permanente a ser Ordenado Presbítero na Arquidiocese de Campinas. A Igreja ordena homens casados para o primeiro grau do Sacramento da Ordem, que é o Diaconato. Esses homens, entretanto, só podem ser ordenados presbíteros caso fiquem viúvos e façam um pedido formal ao Bispo local, que poderá ou não aceitar essa solicitação. O dia 18 de março de 2015 foi de profunda dor e tristeza para o Diác. Jamil e seus três filhos, André Luís, Cristiane e Daniele. Na tarde desse dia, no Hospital Vera Cruz, em Campinas, faleceu a sra. Elizabeth Franzini Sawaya, esposa e mãe, querida por toda a Igreja de Campinas, pela sua atuação como agente de pastoral ao longo de tantos anos. No início de 2016, depois de um período de intensa oração pessoal e de aconselhamento com os filhos e amigos, o Diác. Jamil dirigiu a Dom Airton o seu pedido para que pudesse ser ordenado presbítero. Como é de praxe, Dom Airton consultou o Conselho de Presbíteros e aceitou o pedido do Diác. Jamil para que ele continue a sua Missão de servir a Deus, sua Igreja e seu povo, agora como Padre. Após a ordenação, o Pe. Jamil foi nomeado Vigário Paroquial da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, Catedral. No dia 04 de outubro de 2018, foi nomeado pelo Administrador Diocesano de Campinas, Mons. José Eduardo Meschiatti, como Administrador durante munere da Paróquia da Imaculada, em Campinas.

Cônego Antônio Teixeira Filho

1964 - 2019
Cônego Antônio Teixeira Filho

O Cônego Antônio Teixeira Filho nasceu no dia 30 de setembro de 1935 em Pirassununga, SP, filho de Antônio Teixeira e Maria Pereira Barbosa Teixeira. Fez o Curso primário em Pirassununga; o ginasial no Seminário Menor de Campinas; Filosofia e Teologia no Seminário Central do Ipiranga, em São Paulo. Recebeu a Ordenação Diaconal no dia 24 de dezembro de 1961 e foi Ordenado Presbítero no dia 08 de julho de 1962, na Catedral Nossa Senhora da Conceição, em Campinas, por Dom Aniger Francisco de Maria Melillo. Foi Professor de Antropologia Teológica na PUC-Campinas; Vigário Substituto da Paróquia Santo Antônio, de Itapira, SP; Professor do Seminário da Imaculada, em Campinas; Vigário Paroquial temporariamente da Paróquia Bom Pastor, em Campinas. No dia 26 de janeiro de 1964 recebeu a nomeação de Dom Paulo de Tarso Campos como Pároco da Paróquia da Imaculada, no bairro São Bernardo, em Campinas, onde permanece até o seu falecimento. Dom Gilberto Pereira Lopes, no dia 01 de julho de 1999, o nomeou como Cônego Catedrático do Cabido Metropolitano de Campinas. Foi, por muitos anos, Capelão do Hospital PUC-Campinas. Na tarde do dia 06 de agosto de 2018 sofreu um Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI), também conhecido por derrame ou isquemia cerebral, causado pela falta de sangue em uma área do cérebro por conta da obstrução de uma artéria. Foi levado ao Hospital PUC-Campinas onde permaneceu internado até o dia 11 de janeiro de 2019, quando, às 14h30, veio a falecer. O velório do Côn. Teixeira foi realizado na Matriz da Imaculada, com a Missa Exequial celebrada às 08h00 do dia 12 de janeiro, presidida pelo Mons. José Eduardo Meschiatti, Administrador Diocesano de Campinas. Após a Missa, o corpo foi transladado para o Cemitério Municipal de Pirassununga, SP, onde foi sepultado no jazigo da família.

Monsenhor Otávio Dorigon

1959 - 1964
Monsenhor Otávio Dorigon

Monsenhor Otávio Dorigon nasceu em Valinhos (SP), em 23 de abril de 1927.
Foram seus pais Pedro Dorigon e Ernestina Baptistini Dorigon.
Terminou seus estudos no Seminário da Imaculada, em Campinas (SP), em 1946.
No Seminário Central do Ipiranga, em São Paulo (SP), fez seus estudos de Filosofia e na Faculdade.
Nossa Senhora da Assunção, também em São Paulo, cursou e concluiu a Teologia.
Foi ordenado sacerdote em Valinhos, no dia 28 de março de 1954, por Dom Paulo de Tarso Campos, naquela época Arcebispo Metropolitano de Campinas.
Exerceu o ministério presbiterial em várias paróquias. Entre 1954 e 1958 atuou como coadjuntor da Paróquia Nossa Senhora do Belém, em Descalvado (SP).
Do segundo semestre de 1958 ao começo de 1959, foi coadjuntor da Paróquia Nossa Senhora das Dores, hoje Catedral, em Limeira (SP).
De 1959 ao início de 1964, atuou como pároco da Paróquia da Imaculada, em Campinas.
Ainda em 1964, foi nomeado pároco do Bom Jesus dos Aflitos, em Pirassununga (SP), onde está há 38 anos.
Em 1967, a convite de Dom Paulo de Tarso Campos, fez o Curso Superior de Catequese do Instituto Catequético Latino Americano – ICLA, na Universidade Católica do Chile.
No início de 1970 participou da comissão pró-instalação da Diocese de Limeira, desmembrada da Arquidiocese de Campinas e da Diocese de Piracicaba (SP), criada no dia 29 de abril de 1976, pela Bula Pontifícia “DE SUPERNA”, do Papa Paulo VI e instalada no dia 25 de junho do mesmo ano pelo então Núncio Apostólico no Brasil, Dom Carmine Rocco, na Catedral Nossa Senhora das Dores, em Limeira. A ele coube fazer o discurso gratulatório sobre o acontecimento.
Desde a instalação da Diocese de Limeira, foi constituído vigário geral, sendo braço direito dos bispos que nela atuaram.
Com a nomeação de Dom Ercílio Turco para a Diocese de Osasco (SP), foi eleito, no dia 02 de julho de 2002, pelo Colégio de Consultores, Administrador Diocesano, cargo que ocupará até a nomeação de um novo Bispo para a Diocese de Limeira.

Padre Glauco do Prado Nogueira

1954 - 1959
Padre Glauco do Prado Nogueira

Nasceu a 02 de novembro 1922, em Andradas, MG, filho de Orlando dos Reis Nogueira e de Maria do Prado Nogueira.
Frequentou os bancos escolares em sua terra natal, vindo posteriormente para a cidade de Mogi Mirim, Diocese de Campinas.
Entrou para o Seminário Menor em 1938 até 1941. Frequentou o Curso de Filosofia e Teologia no Seminário Central do Ipiranga, em São Paulo, de 1943 a 1949.
Foi ordenado Sacerdote por Dom Paulo de Tarso Campos, terceiro Bispo Diocesano de Campinas, em 04 de dezembro de 1949.
Foi nomeado sucessivamente Vigário Cooperador da Paróquia Nossa Senhora do Amparo, em Amparo, 1950; da Paróquia Nossa Senhora da Penha, em Itapira, 1951; São José de Mogi Mirim e, posteriormente, Pároco de Elias Fausto, em 1952, e Artur Nogueira.
Tendo sido instituída, em 1954, a Paróquia da Imaculada do Bairro São Bernardo, em Campinas, foi nomeado seu primeiro Pároco.
Em 1955, por sua iniciativa, foi criada a primeira Associação de Bairro de Campinas – A Sociedade Beneficente Amigos do Bairro São Bernardo.
Em 1959, foi destacado para lecionar no Seminário Central de Filosofia em Aparecida do Norte: Metafísica, Psicologia Experimental e Sociologia.
De 1962 a 1963, frequentou em Roma a Universidade Internacional de Estudos Sociais.
Retornando ao Brasil, continuou o magistério no Seminário de Filosofia e colaborou na fundação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, em São José do Rio Pardo, da qual foi Diretor e simultaneamente lecionou em Franca e Pirassununga.
Em 1973, Dom Antônio Maria Alves de Siqueira, considerando a doutrina, piedade, zelo apostólico e demais dotes e qualidades que se requerem para exercer devidamente a cura de almas, nomeou-o Pároco da Paróquia São Pedro Apóstolo, no Bairro Chácara da Barra, fundada em 1964, onde trabalhou até sua morte.
Dotado de espírito empreendedor, diante de uma Comunidade nova, tomou todas as providências para a construção da Igreja Matriz.
A partir de 1974, passou a lecionar Doutrina Social da Igreja nos diversos cursos da PUC-Campinas.
Por esse mesmo período exerceu o cargo de Defensor do Vínculo no Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de Campinas.
Combalida sua saúde em virtude de um assalto à mão armada, em 1988, veio a falecer subitamente aos 20 de abril de 1990.
A atual Igreja Matriz é fruto de seu dinamismo arrojado.