Padre Glauco do Prado Nogueira

Pároco da Paróquia da Imaculada (Campinas)

Nasceu a 02 de novembro 1922, em Andradas, MG, filho de Orlando dos Reis Nogueira e de Maria do Prado Nogueira.
Frequentou os bancos escolares em sua terra natal, vindo posteriormente para a cidade de Mogi Mirim, Diocese de Campinas.
Entrou para o Seminário Menor em 1938 até 1941. Frequentou o Curso de Filosofia e Teologia no Seminário Central do Ipiranga, em São Paulo, de 1943 a 1949.
Foi ordenado Sacerdote por Dom Paulo de Tarso Campos, terceiro Bispo Diocesano de Campinas, em 04 de dezembro de 1949.
Foi nomeado sucessivamente Vigário Cooperador da Paróquia Nossa Senhora do Amparo, em Amparo, 1950; da Paróquia Nossa Senhora da Penha, em Itapira, 1951; São José de Mogi Mirim e, posteriormente, Pároco de Elias Fausto, em 1952, e Artur Nogueira.
Tendo sido instituída, em 1954, a Paróquia da Imaculada do Bairro São Bernardo, em Campinas, foi nomeado seu primeiro Pároco.
Em 1955, por sua iniciativa, foi criada a primeira Associação de Bairro de Campinas – A Sociedade Beneficente Amigos do Bairro São Bernardo.
Em 1959, foi destacado para lecionar no Seminário Central de Filosofia em Aparecida do Norte: Metafísica, Psicologia Experimental e Sociologia.
De 1962 a 1963, frequentou em Roma a Universidade Internacional de Estudos Sociais.
Retornando ao Brasil, continuou o magistério no Seminário de Filosofia e colaborou na fundação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, em São José do Rio Pardo, da qual foi Diretor e simultaneamente lecionou em Franca e Pirassununga.
Em 1973, Dom Antônio Maria Alves de Siqueira, considerando a doutrina, piedade, zelo apostólico e demais dotes e qualidades que se requerem para exercer devidamente a cura de almas, nomeou-o Pároco da Paróquia São Pedro Apóstolo, no Bairro Chácara da Barra, fundada em 1964, onde trabalhou até sua morte.
Dotado de espírito empreendedor, diante de uma Comunidade nova, tomou todas as providências para a construção da Igreja Matriz.
A partir de 1974, passou a lecionar Doutrina Social da Igreja nos diversos cursos da PUC-Campinas.
Por esse mesmo período exerceu o cargo de Defensor do Vínculo no Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de Campinas.
Combalida sua saúde em virtude de um assalto à mão armada, em 1988, veio a falecer subitamente aos 20 de abril de 1990.
A atual Igreja Matriz é fruto de seu dinamismo arrojado.